Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer participar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Sem título

*

Eu cresci e o mar já não é o que era. Só quando sorris eu posso ser a rainha da minha desgraça de ser feliz.

Preciso de um relógio que bata ao contrário. Talvez assim não sinta mais a falta dos momentos que vivi sem ti.

Conto os anos pelos dedos, o coração vai aguentando.

O começo de uma jornada mais longa que eu pode possuir-me. Já me esqueci do som da chuva a cair, só a tua respiração me entra pelos ouvidos.

Se ficar, não será pelo cansaço. Sei que as minhas asas dormem longe. O meu único desejo é olhar-te apenas.

Tocar nos teus olhos foi suficiente para nunca mais construir uma casa. Não sei morrer nem chorar baixinho.

O mar já não é o que era. Talvez sejas tão pequeno como Deus quando era menino.

 

Género: 

Comentários

Palavras ao Vento.
Cássia Eller.