Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Vapor

Sei de cor o trilho da planície 

dourado frémito das cigarras

escorregam-me pelos seios estrelas-do-mar

passos na espuma tecida pela paixão das ondas

bordam-se teias nos pés 

chinelos sensuais que me viciam

sons no vapor quente do sal

consciencia de um rasgo de prazer ou do essencial 

in "Maresia" (2015)

Género: 

Comentários

do interior brotam as cores

que pintam os nossos passos.

 

Saudações!

 

_Abílio

Poema belíssimo que revela a impossível separação entre o ser humano e o ambiente, entre o natural e suas manifestações e este mar de sentir que é capacidade humana...

Mar de sentir subjetivo absolutamente interconectado com seu vastíssimo ambiente! Como nos separar?