Por que Corremos Tanto?

Por que corremos tanto?
Como tantos,
Feito tontos.
Corremos da besta,
Feito bestas.
Corremos para não perder o ônibus,
Para mastigarmos menos.
Corremos para o óbvio
E para o que não conhecemos.
Corremos para o que muito sonhamos
E para aquilo que nem queremos.
Para o trabalho,
Para a briga,
Para algum descanso,
Para a escola,
Para ter abrigo,
Para o bar,
Para dar consolo,
Para a sorte.
Corremos do azar,
E bradamos:
Azar de quem não corre,
Pois fica pra trás.
Corremos para andar na moda,
Enquanto transamos,
Para darmos conta,
E para broxar.
Corremos dos outros,
Para o outro,
Que parar não quer.
Corremos do começo ao fim,
E pulamos a vida sem perceber.
Num paulatino salto mortal.
Género: 
Você votou 'Gosto'.

Comentários

Gostei muito

Boa noite, Juliane, obrigado pelo comentário. Abraços.