A DEEP WEB - Nua e crua

A DEEP WEB - Nua e crua

Estima-se que a Deep Web seja 800 vezes maior que a web convencional. Entenda-se por web convencional, o conjunto de sites que todos acessam em seus smartphones, Tablets, notebook e computadores convencionais. Sites como Facebook, Google, Yahoo, UOL, Terra, MSN, entre outros. Nenhum desses sites convencionais consegue acessar os conteúdos mais profundos da Deep Web. A Deep Web seria a parte mais profunda da internet, e que só pode ser acessada por programas específicos de navegação. Dentre eles, o mais famoso é THOR, um navegador específico para os conteúdos da Deep web. Navegadores como Firefox, Google Chrome, Opera, Internet Explorer e outros do mesmo tipo, não acessam a Dep Web facilmente.

Embora já existam navegadores baseados em plataforma Windows que acessam pequenas partes da Deep Web, não é aconselhável acessar esses conteúdos utilizando computadores convencionais. Isso porque esses computadores baseados em plataforma Windows são completamente vulneráveis, e logo se tornam um alvo de ataques cibernéticos.

Os internautas comuns não têm uma ideia clara do que seja um ataque cibernético. Citando um exemplo comum, e que acontece quase que diariamente, um internauta que usa o Facebook, sites de notícias e também acessa o site do banco onde possui uma conta, caso instale navegadores que acessem a Deep web no mesmo computador, certamente esse computador passará a ser monitorado assim que começa a navegar pela web mais profunda. Uma consequência mais comum é a invasão da sua conta bancária ou clonagem do seu cartão de crédito por um hacker que estiver monitorando seu acesso, quando o internauta acessar a sua conta bancária particular. Normalmente o internauta não percebe que está sendo monitorado à distância. Então, assim que ele acessa sua conta no site do seu banco, logo  depois que ele digitar a senha de acesso, o hacker pode travar o computador do internauta, mas ele, o hacker, continua com o acesso total a sua conta bancária pelo computador dele. Para o servidor do banco é impossível detectar se o acesso está sendo feito pelo computador do internauta ou pelo computador do hacker neste momento. Normalmente o hacker não trava por completo o computador, para que o usuário não desligue ou reiniciei o sistema, se ele fizer isso desconecta do computador do hacker.

Há coisas boas na Deep Web?

Sim. Há coisas como livros antigos, livros proibidos de serem vendidos ou publicados. Livros que foram tirados de circulação por ordens judiciais. Vídeos demonstrativos sobre diversos assuntos, como por exemplo, vídeos que ensinam como produzir combustível a partir de lixo orgânico. Tratados de teosofia escondidos nos porões do Vaticano. Manuais e tutorias que vão desde como extrair seu apêndice numa situação de crise aguda, mas que não exista como chegar a um hospital a tempo, e também diversas fórmulas químicas manipuláveis para fabricação de remédios não convencionais, mas extremamente eficazes. Entre outras coisas.

Para estudantes não conformados apenas com os conteúdos ensinados nas universidades, na Deep Web vai encontrar assuntos minuciosamente explorados e explicados. Isso envolve todas as disciplinas convencionais e não convencionais.

Há coisas ruins na Deep Web?

Sim é claro, quanto a isto não tenha dúvida. Por exemplo, se você quiser se tornar adepto de seitas macabras, ou do canibalismo, você pode se juntar a grupos no mundo que praticam esse tipo de alimentação. Como as pessoas nesta imagem  que estão em plena hora do almoço. Observe o que eles estão comendo. Sim, é um cadáver humano. Você também pode encomendar um fígado humano novinho, extraído de um adolescente prisioneiro em algum lugar do Oriente Médio. Pode comprar crianças entre um e dois anos de idade, recém-nascidos e também mulheres escravas. Geralmente dessas mulheres é extraída a sua língua para que não fale. Existem até sites que promovem encontros entre compradores e vendedores de mulheres e crianças, como também órgãos humanos. A maioria no Oriente médio.

O Internauta pode comprar armas de diversos tipos, drogas de diversos tipos, medicamentos de diversos tipos. Também há uma infinidade de manuais, tutorias e vídeos que ensinam como fabricar bombas caseiras, mas com alto poder de destruição. Diversos vídeos de estupros reais, também com crianças, adolescentes, animais e até idosos. E tem muito mais coisas ruins que das quais o internauta leigo nunca ouviu falar.

Resumindo, a Deep Web não é coisa para leigos, nem para quem tem estômago fraco.

Charles Silva

Género: 
Você votou 'Gosto'.

Comentários

A Internet é, como tantos outros inventos humanos, fruto de miênios de estudos e avançoes tecnológicos. Ela, a rede mundial, é revolucionária, interativa, relevante para o mercado, o comércio, atua nas relações humanas e na comunicação mundial de uma forma complexa e crescente... Muitas e muitas coisas podem ainda ser acrescentadas. Mas, o ponto que quero acrescentar sobre seu completíssimo texto Sr. Charles Silva é sobre a questão destes crimes e aberrações na "Internet profunda". Já sabemos que aberrações, loucuras e desumanidades, malignidades, etc. Já existiam na História humana. Mas, em nossa tempo, ou melhor, com a Rede Mundial há essa capacidade de comunicar, compartilhar até instantaneamente essas (sem palavras) criminosas. Agora eis minha preocupação: diante desta "janela" para o mundo, muitas destas mentes doentias de comportamentos bizarros não estariam se sentindo mais e mais motivadas para além de praticá-las mostrá-las ao mundo em função de seus egos doentios? Bem, penso eu, em minha humilde opinião e inteligência que o controle de várias formas é absolutamente necessário e uma legislação mundial dever ser presente para combater crimes desta natureza... 

Entendo o seu ponto de vista Senhor Oseias, porém, na Deep web é facil encontrar os crimes, mas não os criminosos.

Sim!

Por isso no comentário anterior escrevi: "Bem, penso eu, em minha humilde opinião e inteligência que o controle de várias formas é absolutamente necessário e uma legislação mundial dever ser presente para combater crimes desta natureza...!" Penso também, que "nós", a maioria, mesmo aqueles que trabalham com tecnologia, sabemos pouquíssimo, comparados aos Estados e governos (principalmente o "Pai da Internet", os EUA) aos centros e empresas tecnológicas de comunicação virtual, on seja, há uma necessidade de maior controle, há uma capacidade de saber tecnológico que cresce exponencialmente, mas existe também, uma passividade política diante destes acontecimenotos relacionados a grande rede mundial. São empresas privadas e Estados que trabalham e sustentam a rede mundial, ou melhor, são o suporte tecnológico e político para que a Internet funcione. No mínimo um maior cuidado (pela humanidade e pela ética) e investimento de inteligência diante de tais crimes e aberrações devem ser feitos.