Mário de Sá-Carneiro

Mário de Sá-Carneiro

Offline
Última vez online: 6 years 8 meses atrás
Membro desde: 19/11/2012 - 00:42
Pontos: 0

Género

Idade

Cidade

País

PT Portugal

Tipo de Membro

Sobre mim

Mário de Sá-Carneiro (Lisboa, 19 de Maio de 1890 — Paris, 26 de Abril de 1916) foi um poeta, contista e ficcionista português, um dos grandes expoentes do modernismo em Portugal e um dos mais reputados membros da Geração d’Orpheu.

Obras literárias

Amizade (1912)
Publicada em 1912, Amizade, é a primeira peça que escreve. Mário de Sá-Carneiro divide a autoria desta obra com Tomás Cabreira Júnior, seu colega do Liceu Camões em Lisboa. O fato de hoje podermos ler esta peça deve-se a um acaso. Dos dois colegas e autores da peça Amizade, Tomás Cabreira Júnior era o único dos dois que tinha os manuscritos. Por qualquer motivo era Sá-Carneiro quem os tinha consigo aquando do suicídio de Tomás Cabreira Júnior, que antes de cometer tal ato destruiu toda a sua obra.
Princípio (1912)
No ano de 1912, o autor dá à estampa um conjunto de novelas que reúne sob o título Princípio.
Memórias de Paris (1913)
Uma colectânea de memórias ao estilo vanguardista.

A Confissão de Lúcio (1914)
Inaugurando um estilo até então em si desconhecido, o romance, Mário de Sá-Carneiro publica, em 1914[1], A Confissão de Lúcio. A temática desta obra gira em torno do fantástico e é um óptimo espelho da época de vanguarda que foi o modernismo português.
]Dispersão (1914)
O ano de 1913 veio a revelar-se de uma pujança criativa inigualável. Não só variou dentro da prosa, como apresenta ao público a sua primeira obra de poesia: Dispersão. Esta obra é composta por doze poemas e a sua primeira edição foi revista quer pelo autor quer pelo seu grande amigo, e também poeta, Fernando Pessoa.
Céu em Fogo (1915)
Em 1915, volta a reunir novelas, mais precisamente oito, num volume a que dá o título de Céu em Fogo. Estas novelas revelam igualmente as mesmas perturbações e obsessões que já a sua poesia expressava.

Conteúdo do membro

Título Género
Apoteose
13/12/2012 - 00:53
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 666
Comentários: 0
A Inegualável
10/12/2012 - 00:53
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 442
Comentários: 0
Angulo
09/12/2012 - 00:55
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 516
Comentários: 0
7
07/12/2012 - 00:56
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 582
Comentários: 0
Sugestão
06/12/2012 - 00:58
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 416
Comentários: 0
Vislumbre
05/12/2012 - 00:59
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 536
Comentários: 0
Distante Melodia
04/12/2012 - 01:01
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 453
Comentários: 0
16
03/12/2012 - 01:02
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 584
Comentários: 0
Salomé
02/12/2012 - 01:03
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 417
Comentários: 0
Taciturno
01/12/2012 - 01:04
Mário de Sá-Carneiro
Poema
Leituras: 538
Comentários: 0

Pages

Subscribe to Conteúdo do membro

Os meus fãs

admin