Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

CEARÁ

Sonoplastia dos cavalos dos deuses produzidas por uma banda de música agreste monolíticas paisagens compõem cenários por essa trilha por esse caminho a dentro arbustos ao meu lado, pedras galhos secos foi o tempo o vento que escupiu em escala quase musicas foi a poesia musica do zumbido do ar nas penas do carcará O balanço oculto do terremoto mexeu o duro cristalino Alicerces de sapatas gigantes, pousou de pé na pedra um leve bem-te-vi Que violou em rompante um pequeno sossego Umbuzeiros e cipós amarelados em harmonia, um anu alma de gato canta No silencio do chão de cascalho. Pequenos Repteis reunissem em grupos a meia distância Todos com olhares e movimento religiosos Quanta reverencia natural Estralam sobe os calcâneos dos pés solo de mistérios jurássicos Juramentos da cruz e o tempo nunca violados Todas as veredas de preá levam a pedra do ingá Todas as belezas deste lugar faze-nos acreditar que pisou Um suposto sábio Eliofant que cultivou letra rendeira tão bela que hasteou Uma bandeira com o nome Ceará.

Género: