Soneto

ESTRUTURA EDUCACIONAL

ESTRUTURA EDUCACIONAL

-a evolução carece de estrutura adequada-

 

Autor: Raimundo A. Corado

Barreiras, 14 de junho de 2016.

 

Todo avanço depende de educação;

Para um país, é algo “providencial”;

Significa a alma de qualquer Nação;

É uma pena que a nossa esteja mal.

 

Notória fica, a ausência de estrutura;

ESTOPINS

ESTOPINS

-deuses e diabos viram-se as costas-

 

Autor: Raimundo A. Corado.

Barreiras, 07 de outubro de 2018.

 

Em época de eleição tem de tudo;

Ações de sentimento adormecido;

O entulho partidário, que absurdo;

Olho a tudo, assustado e aturdido.

 

Pleito açodado por medo e revolta;

DESMANCHAR E MOER

DESMANCHAR E MOER

-engenhos e bolandeiras como raridades-

-a pedido da amiga Tania Lisboa-

 

Autor: Raimundo A. Corado.

Barreiras, 15 de junho de 2018.

 

Com esse friozinho exigindo cobertor;

Vagueio em lembranças da zona rural;

Quando a energia era movida a motor;

E o despertador era o ‘galo no quintal’.

 

CORAÇÃO DE PUTA

CORAÇÃO DE PUTA

“terra que ninguém vai”

 

Autor: Raimundo A. Corado.

Barreiras, 08 de dezembro de 2012.

 

Coração de quenga é terreno vil;

Que outrora ninguém preparava;

Cadê a tua prostituta? Já sumiu?

Se você dela nunca se separava?

 

Por certo com outro bígamo saiu;

Coisa que você nunca esperava;

E o corno cego, finge que não viu;

Que a vagabunda, outro transava?

 

Cadê ela, que nem liga para você?

Está furunfando ao seu bel prazer;

CULTURA

CULTURA

-a semeadura da sobrevivência-

 

Autor: Raimundo A. Corado

Barreiras, 27 de outubro de 2012.

 

É muito ampla a definição de cultura

Depende de qual cultura a gente fala

De como à cultura sabermos regá-la;

Como saber, a época da semeadura.

 

Existem as culturas de difícil colheita;

Por serem semeadas com o coração;

Onde semeadores são todos irmãos;

E não existe na terra, pessoa perfeita.

 

Bom exemplo a fértil semente da paz;

Escassa, quase não se semeia mais;

CARRO DE BOI

CARRO DE BOI

-a composição do transporte-

 

Autor: Raimundo A. Corado

Barreiras, 21 de outubro de 2014

 

Suas rodas já quase quadradas;

                  O eixo gasto por demorado uso;

                  Suas brochas deveras folgadas;

                  O transporte caindo em desuso.

 

AZEDUME

AZEDUME

-o ilusório “aroma” do bebum-

 

Autor: Raimundo A. Corado.

Barreiras, 26 de agosto de 2017.

 

Pessoas que vivem “autoenganando”;

Vivendo as múltiplas personalidades;

E o emocional vive sempre oscilando;

Sob luz tênue e negra da obscuridade.

 

A luz que fita, uma penumbra ilusória;

Opaca, sem brilho e pouca claridade;

Há uma venda que obstrui a memória;

Suas vis mentiras coiceiam a verdade.

 

É um corpo vivo numa alma de finado;

AMOR DE UMA MULHER DOENTE

AMOR DE UMA MULHER DOENTE

-o amor quando alojado no coração, “cura quaisquer males”-

 

Autor: Raimundo Augusto Corado

Barreiras, 17 de novembro de 2016.

 

 

Tudo é amor para a pessoa apaixonada;

Vive a fantasia dos beijos e dos abraços;

Deita-se sozinha, sentindo-se acariciada;

Sonha estar em aconchegantes amaços.

Com todos seus fardos e seus segredos;

Pages