Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

ESTILHAÇOS DO TEMPO

ESTILHAÇOS DO TEMPO

Ondas de sonho, onde o sol se estilhaça
E o poema voga em meu peito escondido,
Gemendo de dor, escorraça, o amor sofrido
No grito d´alma, que me envolve e me abraça.

Pudesse eu amar, sem padecer de ciúme
Entre os estilhaços do sol e as ondas da lua
Acorrenta-se o tempo, que o martírio acentua
Perfume de sombras, penumbra de lume!

Meu corpo de amor, aos poucos se desnua
Despindo as vestes da adolescência.
Ao sol brilha a pueril inocência
Ufanias do tempo, fragrâncias da lua.

Na onda do sonho de ígneo apogeu,
A alma declama no púlpito da eternidade
Poema que o peito derrama, vertendo saudade
Grito que se desprende às portas do céu...

João Murty

Género: 

Comentários

Que bom ler sua poesia João Murty

como um grito suave que se despende desde o céu dos céus

Abraço

FC

Todos nós que poetamos, acordamos nas palavras, sempre que a pena liberta o grito d´alma,  que as vicissitudes da vida, teimaram em o manter amordaçado!

Um abraço F.C.  

João Murty

Tristes e belas palavras ao mesmo tempo. 

"Uma esperança nasce no desespero... O Sol quer a Lua, mas esta bem distante, surge uma ideia, um eclípse resolve nosso problema, entre aspas"... 

Madalena Cordeiro

Lindo poema!

Beijinhos!

 

fico feliz por gostar dos meus singelos poemas!...

Beijinho

João Murty

 

algo da Nereide (página no facebook).

João Murty

Eu pedi-te também algo sobre ela. Estou em tamanha tristeza, pois esteve sempre presente conosco.

Abraços!

TEMOS A LEMBRANÇA DE NEREIDE EM FRAGMENTOS DUETOS. AINDA BEM QUE FICOU ESTA RECORDAÇÃO.

Beijinhos!



Nos dados da Nereide deve constar o seu  email!

Estive procurando nas mensagens....., mas todos os elementos desareceram!

 

Beijinho

 

Quando saimos da poesia fã clube, todo conteúdo é retirado. Poemas, comentário tudo, tudo...

Beijinho! Não me deixe também por favor!

broken heart coração partido...

Obrigada meu poeta,

consagrei-te meu!

Poetisa Das Palavras Doces;

foi você quem me deu...

Beijinhos com sabor de uvas!

Madalena Cordeiro...

 

Não me canso de comentar em seus poemas, é uma maneira de alegrar-me!

São lindos!

Beijinho!

Sempre que recebo a sua visita, os meus olhos brilham e o coração se alegra.

Fico muito feiz por  repartir a minha poesia com os  amigos.

Beijinho

João Murty

António Cardoso's picture

É sempre tão bom ler as suas palavras, amigo João.

Tantos poemas não são mais que gritos. Gritos silenciosos de dor, de amor (agradável, sofrido ou impossível), de desejo, de tristeza ou de felicidade. Lamentos de saudade ou nostalgia de coisas, pessoas ou momentos que já tivemos connosco ou nunca chegamos a ter. Gritos vindos da alma de quem os escreve.

Quando a nossa voz, seja porque motivo for, se cala os poemas gritam por ela.

 

Abraço

António Cardoso



É verdade António, a poesia tráz à colação os vários momentos que vemos, lemos, sentimos e sofremos. Muitas vezes essa erupção de sentimentos jorra da alma  e  a Msa fala po nós.

Abraço

João Murty

Ps. Espero que tudo esteja a corer bem.



É verdade António, a poesia tráz à colação os vários momentos que vemos, lemos, sentimos e sofremos. Muitas vezes essa erupção de sentimentos jorra da alma  e  a Musa fala por nós.

Abraço

João Murty

Ps. Espero que tudo esteja a corer bem.

António Cardoso's picture

De nada!

As coisas têm corrido mais ou menos, não é uma idade fácil.
Espero também que tudo esteja a corer bem consigo.

Abraço

Passei para dar um sinal... Estilhço do Sol, pedaços do tempo é também pedaços de mim, lua; que me divido em pedaços, como: crescente, CHEIA, minguante e assim se vai. Eu,  lua cheia de esperanças,  passo por aqui, deixo também meu perfume de primavera que em poucos dias, já nos espera.

Madalena Cordeiro...

Beijinhos!

Muito bom mesmo! Ainda deu para adicionar mais um vocabulário ás gavetas na cabeçinha, dê uma olhadela no meu canal!