Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Fantasia

ANATOMIA DO POEMA

ANATOMIA DO POEMA

Silabas magoadas, embriagadas,
á solta no berço da ilusão
vogam livres, amaldiçoadas
Encurralado num beco escuro
ingero, frases sem sentido,
dúbio fragmento e desilusão,
mastigo letras que não procuro,
arde-me o sangue, esforço ignoto,
sou poço de febre, um lobo de fogo,
perseguido como um mártir devoto.
Como se tratasse de um jogo,
cospem, palavras seladas na obrigação,
em escrita boçal, sem sentimento.
Por onde andas musa?
é da poesia , que eu me alimento!

Versos Soltos 5

(Em volta de ti)

 

Sou um fantasma que vagueia pelo mundo,

Um vento que corre da terra e vai chorar ao mar.

Sou tal como um navio naufragado lá no fundo,

Mas que ainda sonha em poder navegar.

 

Sou um satélite que órbita em volta de ti,

Que quando não estás não sabe ser nem viver.

E que se alegra sempre que estás presente, aqui,

Amor dos Sonhos

É impressionante a maneira como me abraças com tanto amor,

Como me apertas entre os teus braços e me fazes esquecer a dor.

Como me olhas intensamente, como quem ama de verdade,

E sussurras-me aos ouvidos palavras de lealdade.

 

Os teus lábios são tão doces, e eu posso te beijar,

A tua face é tão bela que eu passo horas a admirar.

É muito bom que venhas todas as noites me embalar,

A Inspiração

Vejo o quanto és bela todas as noites no céu,

Tento na folha te retratar, mas é impossível, nunca deu.

Tento através dos versos conseguir te descrever,

Mas nunca encontro as palavras ideais para o fazer.

 

Afinal o que és tu? Um anjo, uma mulher, uma ilusão…

Só sei que milhões de vezes me deste inspiração.

Sim…és a miúda mais bela da terra inteira,

Morada da imaginação

“Morada da imaginação”
No pensamento surgem ideias presas,
trilhos de Viagens pelas estrelas,
cores cada vez mais vivas e acesas,
montanha de mais um anoitecer com surpresas.

Moves-te, encontras fantasia a cada esquina,
duendes e fadas fazem magia,
super heróis, soldados com um sorriso acenando com alegria,
o livro se abre, te envolvendo por uma imaginação bem viva.

Dezputismo

Eram dez putas
a disputar
o déspota
entre si.

Despiram-se,
desesperadas,
a esperar
um sim.

Dispararam
disparates
ao acaso
sem fim.

Ele mirou-as
e eliminou-as
uma a uma
logo assim.

Dispuseram-lhe
dez pentelhos,
duas pernas
e um rim.

Ele esperou
depois expirou
e espirrou:
"Atchim!"

(Estava farto
de fartura,
ou enfartou
cá p'ra mim.)

Pages