Aforismo

DIFERENTE!

DIFERENTE!

difere ter outra mente?

ente que fere apenas por ter:

ser diferente!

refere a vida em versos:

como que a entreter!

entre as linhas outros tantos universos:

numa forma de contravolteio!

caminhar como gente:

numa anomalia se deter?

 

ter mão nesse rodeio!

pensar simplesmente:

modos inversos?

Perseverança do dia. Caso 14.

P.D. Caso 14.

 

A piquira era normal. Possuía a doença da sanidade, e em seus 18 anos de loucura, cuidava dos loucos, pois eram sãos. Estava completamente despida e com nojo da compaixão. Castrador, anunciou. A dominação da atuação, um juiz. Enviado pela vontade divina na saudável e voraz dissimulação. Sorrateiro em sua geração habitual do calabouço.

dia de prantos

Hoje é dia de memórias, flores, saudades mortas e muita terra,cinzas!

 

Hoje e sempre por linhas tortas,

É dia sem vaidades!

Dia de antigas lágrimas e passados horrores:

Memórias?

Flores que viraram histórias:

Saudades!

Mortas em dor que não se encerra,

E mesmo em pó ou cinzas:

Muita,

Terra,

Cinzas!

 

Hoje, sempre sem vaidades!

Linhas tortas:

saudades!

Dia dos nossos santos:

As flores já mortas!

Mas todos vivos nas histórias!

trocam-se as flores,

percurso

Poderão chamar de tudo, cada  com o seu significado, para mim  percurso!

 

Poderão chamar-lhe de caminho?

Chamar de acomodado!

De vontades grandes, mas pouco recurso:

Tudo?

Cada verso um legado!

Com pontuação, nada mudo,

O sentido é continuar:

Seu interior mostrar!

Significado!

Para os amigos, todo o carinho:

Mim, como que agradado!

Percurso.

 

Poderão até não ter significado:

Poemas com todo o carinho!

Não ficarei mudo,

Cada um com o seu caminho?

ver

Será a ver que o futuro nos trará uma nova linguagem própria?

 

Será?

A palavra, todas, se sustentam!

Ver?

Que num jeito meio perdido:

O céu a deixar de ser escuro:

Futuro?

Nos ensinará!

Trará?

Uma vontade própria:

Linguagem,

Própria!

 

Será que se sustentam?

Jeito assumido!

Trará um futuro?

A linguagem será!

O que nos ensinará?

Linguagem:

O céu ainda escuro,

Um futuro ainda por ver,

São os abraços que nos alimentam:

pardalito

Até poderemos ser um dia como pequenos pardalitos a voar sem parar!

 

Até o aprendemos?

Poderemos?

Ser!

Um ponto no ar:

Dia!

Como seria?

Pequenos saltinhos:

Pardalitos!

A vontade toda de cantar:

Voar!

Sem nada mais que alegria:

Parar?

 

Até seremos como o ar:

Um dia!

Pequenos passarinhos:

Pardalitos,

A alegria,

Toda feita de saltinhos:

Cantar!

Voar:

Em pequenos gritos!

Como seria?

A vontade dos aflitos!

Pages