Concursos

  Quer publicar o seu livro de Poesia? Clique aqui.

  Quer partcipar nas nossas Antologias? Clique aqui.

Fantasia

Assimetrias...

Quando percebi a acalmia
 
abstraída em vagas respostas
 
que fluiam na anorexia do tempo
 
apenas alimentei a fartura
 
da minha livre contestação
 
com respostas 
 
que nunca soube de cor
 
 
Fiquei exitante
 
depois de adormecer, amadurecidas
 
aquelas nossas assimetrias desenhadas
 

O BRUXO

Eu sou o vetusto mago
Que nas medievais histórias,
Desejou com seus feitiços
Jamais fugir das memórias;
Com suas palavras mágicas,
Seu místico caldeirão
Causar terríveis assombros
À descrente multidão!

Eu viajo pelos ares
No dorso de meu dragão!

Em meu castelo em escombros,
Pelas trevas envolvido
Sou arisco e arredio,
A luz da aurora me enfada,
Eu sou igual aos devotos
Que enxerga a glória no nada.

Às vezes, troco beijinhos
Com Dafne – a linda fada!

Recados Etéreos

Perturba o silêncio dentre a noite vaga

o ruído dos que perfuram astros.

Mandam recados em forma de pó de estrelas.

Quando caiem sobre as casas

a meia luz, a meia noite

se contorcem formando letras.

Do telhado se avista:

Inunde nos sonhos dos que

desejam a luz do sol pela manhã,

a serenata da paz plena.

Meus olhos apaixonados

Meus olhos apaixonados

Desenho-te admirável perfeição
Numa cabana, és meu viver
Juntos num mar de amor
Sol que nos enlouquece
Lua que nos deixa famintos
Transpiração com cheiro de maresia
Desejos, pecados, nada de enarrado
Vontade de amar até que o juntar
De nossa carne criem raízes

Pedro Rodrigues
4/10/2013

Pages