os ramais da temperança

a dor é um sintoma que a providência transporta até ao coração do poeta quando ele recrudesce a víbora que há em si: são dias e dias em que ele ausculta as exaltações que a sua perversidade vai engalanando; são recados torpes que geram o desatino no âmago da sua consciência.

Género: